terça-feira, 11 de novembro de 2008

Já estou contactável e "Aventuras da Anita na Madeira"-Parte 1

Já activei a net aqui na minha casa no Funchal.

Pois... cá estou na ilha! A Anita sou eu, claro (mas não me tratem assim; é só porque agora dá jeito) e já vivi umas aventuras nestes dias de regresso à Ilha.
Os primeiros dias custaram, andava desorientada, mas agora já estou ambientada. Logo no segundo dia cá em casa pensava «-Mas porque vim tão cedo?» , mas agora penso que fiz muito bem vir 20 dias antes de começar a trabalhar.

Lentamente lá me fui organizando. Ainda não estou completamente orientada mas vou aos poucos! Redescobri o meu apartamento, mudei coisas de lugar para acesso mais facilitado (acina da cintura), deitei fora revistas antigas e papeladas...
Já estava -estranhamente ao que pensava nos primeiros tempos de recuperação- completamente desligada do que tenho cá em casa.
Já tenho uma Empregada de Limpeza (pois eu não consigo tratar dessas lides caseiras, pelo menos das mais exigentes) , já reiniciei a Fisioterapia e ando à procura de um novo carro,NOVO, NOVO, com mudanças automáticas e outras funcionalidades práticas. Não está a ser fácil!
Não era para procurar já um novo carro (era só para ser a partir de Janeiro)mas tenho conduzido muito mais que o habitual em Trás-os-Montes e verifico que este meu "bolinhas" Peugeot 106 Kid de 1994 me cansa imenso!!!Não pode ser, tenho mesmo que arranjar outro carro! Só comecei a procurar a semana passada,incentivada por mais uma aventura que vivi com este meu "bolinhas": ao terceiro dia que ,corajosamente, peguei no carro, lá fui eu à Fisioterapia no excelente Ginásio que comecei a frequentar ,num horrível dia de chuva e temporal ventoso e vou para ir embora para casa, almoçar e ao querer ligar o carro: NADA! Mudo, silencioso, não obediente. Não aconteceu nada! Telefonei ao mecânico. Até manti a calma, mas estava cheia de fome, era hora do almoço e o Sr.M só podia ir ter comigo às 14h e estava um vendaval tremendo lá fora, que fazia dançar o carro por todos os lados, quase parecendo voar e com uma chuvada que me impedia ao menos, sair da claustrofobia do carro e ir esperar para a Pizzaria ali perto. Ao menos almoçava. E ia à casa-de-banho , pois, porque também só faltava a minha bexiga se ter sentido subitamente cheia! E nem tinha música ,nem nada e o meu telemóvel estava a assinalar a falta de bateria. E nem ao menos tinha um livro para ler, como ás vezes tenho.
Bem, foi uma hora interminável de espera, a sentir que o carro se ia destravar e levantar vôo, a observar alguns turistas mais destemidos na rua a serem vergastados pela chuva puxada a vento; as palmeiras a dançarem loucamente, o mar escuro mesmo à minha frente, ao fundo, tão perto. Ai!!! Paciência! Calma!...Finalmente o temporal acalmou um pouco e assim que parou de chover saí imediatamente do carro. Ainda tinha tempo de almoçar e lá fui deliciar-me com um Pizza! Meia hora depois, um sol explêndido e vestígios do temporal só as folhas de bananeira e outros detritos espalhados pelo chão. O sr.M e um funcionário chegaram ao local explicado, eu engoli um café quente (aqui chama-se bica, como no centro-sul de Portugal) que me queimou a língua e lá fui ter com o sempre solícito sr.M. O problema foi bem mais simples das hipóteses que poderiam ser, faladas ao telefone: poderia não ser da bateria, por ser nova, mas poderia ser o alternador ,por exemplo, por estar tanto tempo com o carro parado, apesar de já ter pegado nele duas vezes mais o ir até ali. Bem, como o carro não reagia a nada era algo desligado, definitavamente. E era a bateria cujos cabos mal apertados, estavam em mau contacto, não permitindo a energia circular em circuito. Simples! Foi só apertar melhor as roscas! E eu fiquei assim, meia sem jeito, com uma caixa de pizza e os restos dela lá dentro e só disse, desconcertada, aos "homens entendidos": «-Só isso?...Até dá para rir!...» Mas melhor isto só que mais uma despesa extra de oficina, que eu já fazia um filme, aborrecida com a situação e mesmo a ficar levemente chateada!
A contrariedade passou, tal como o temporal, os homens lá foram com uma "história de mulheres e carros" para contar e eu lá fui a conduzir o meu "bolinhas" (de direcção muito pesada e de caixa de velocidades normal) , morro acima a pique, até casa. Com tanta emoção do dia , mais cansaço da Fisioterapia exigente, acabei a dormir uma boa soneca de um par de horas!
Ás vezes meto-me em cada aventura!!!

Os dias vão correndo! Vinte dias pareciam tanto tempo e é já depois de amanhã que recomeço a minha vida laboral na Escola.

Eu vivo aqui na Madeira, na freguesia de São Martinho. Hoje é o seu dia, também aqui na ilha. Há festa nas redondezas. Apesar de não estar frio algum ( é Verão de S.Martinho, literalmente) também se celebra com castanhas e vinho. Já se sente o cheiro de castanhas assadas, mas aqui não me sabe! Não parece Outono, não cheira a Outono, não há cores de Outono!

3 comentários:

Judite Pitta disse...

Olá Borboleta. que bom estar de volta. É só mesmo para lhe dar as boas-vindas e desejar-lhe tudo de bom nesse recomeço de vida nova. ânimo menina, que vai conseguir superar todas essas "aflições" e agora com o carrinho novo, bem, vai ficar uma vaidosa...
Um beiinho muito grande para si Ana da madrinha!

borboleta-cor-de-seda disse...

Obrigada madrinha das sedas, mas ainda não tenho um carrinho novo. O processo ainda vai levar mais tempo do que pensava.Quero usar a redução no preço do carro, a que tenho direito através da Declaração de Incapacidade que possuo, mas afinal ainda são necessárias mais umas papeladas e uns quantos passos a dar antes da escolha do carro.
Muitos beijinhos daqui da Madeira, Ana

Elisabeth disse...

Olá Ana!Tudo bem?

Ainda bem que já estás de volta!!! Confesso que já estava com saudades de vir aqui ver os teus lindos trabalhinhos e ler as tuas aventuras hehehehe

Eu tb tenho andado desaparecida...para a frente e para trás com as consultas da minha mae...a minha sobrinha, coitadinha que vai ter que ser operada ao ouvido...a loja...eu depois explico melhor como foi a consulta da minha mae em Coimbra...já conseguimos o que queriamos...a minha mae já vai ter fisioterapia :) Até que em fim uma boa noticia!! Como vai ter que esperar que a chamem...vamos procurar no privado...eu depois explico ;)

Muitas beijocas,
Elisabeth